Liderança de Brown não está em questão, diz ministro

Em meio a uma chuva de críticas, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, recebeu nesta terça-feira o apoio de um dos seus principais ministros para que permaneça no cargo. Em uma entrevista à BBC, o titular da pasta do Exterior, David Milliband, afirmou que o partido trabalhista resolveu a disputa em torno da liderança de Brown.

BBC Brasil |

"O Partido Trabalhista não quer um novo líder. Não existem vagas abertas. Não há ninguém disputando a liderança", disse Milliband, pouco antes da primeira reunião do novo gabinete trabalhista, presidida pelo premiê.

Gordon Brown tem sido alvo de críticas à sua liderança dentro e fora do partido, que se intensificaram na semana passada depois que cinco ministros de sua equipe renunciaram e o partido sofreu a pior derrota em eleições locais e europeias em décadas.

Nesta terça-feira, Milliband procurou destacar a unidade dos trabalhistas em torno de atual premiê. Segundo o ministro, o principal nome apontado com possível sucessor de Gordon Brown, Alan Johnston, "disse que apoia o primeiro-ministro".

"E isto é tudo", afirmou Milliband. Ele acrescentou que o novo gabinete tem o "compromisso de ser parte de uma solução" conjunta.

"Temos a responsabilidade coletiva de encontrar uma solução, porque no fim as pessoas neste país votam por partidos e não por pessoas", disse.

Queda de braço

Na segunda-feira, em uma reunião na Câmara dos Comuns, a maioria dos parlamentares trabalhistas ofereceu apoio ao atual primeiro-ministro. Ainda assim, Brown teve de enfrentar novos pedidos para que renuncie.

As pressões se acentuaram após a votação para o Parlamento Europeu, nas quais o Partido Trabalhista ficou em terceiro lugar na Grã-Bretanha, atrás dos Conservadores e do UKIP - o Partido Independente, que defende a saída da Grã-Bretanha da União Europeia.

Nas eleições municipais britânicas o Partido Conservador venceu em diversas cidades, inclusive em locais liderados havia anos pelos trabalhistas.

Essas derrotas agravaram a crise provocada pelo escândalo do reembolso de gastos pessoais de parlamentares.

O analista de política doméstica da BBC, Nick Childs, afirmou que agora o desafio de Gordon Brown é provar ser mais que "um líder enfraquecido de um governo sem espinha dorsal".

Segundo o repórter, Brown deve seguir uma estratégia, a partir desta primeira reunião do novo gabinete, de mostrar que está retomando a iniciativa em diversas frentes - econômica, constitucional, de reformas e serviço público.

"Gordon Brown é um enigma. Ele é de longe a principal figura da política britânica, com um longo, embora contestado, histórico na área econômica, e reconhecimento internacional nessa frente", afirmou.

"Entretanto, ele é visto como um líder inepto - pelo menos nos termos modernos - incapaz de se comunicar bem e sem uma visão real."
Para o analista, é provável que a liderança de Brown volte a ser desafiada se não melhorar seu desempenho político, mas haverá dúvidas sobre a capacidade de seus críticos de derrotá-lo nas próximas vezes.



Leia mais sobre Gordon Brown

    Leia tudo sobre: gordon brown

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG