Líder talibã suspende conversações de paz com Paquistão

Um alto membro dos talibãs paquistaneses anunciou neste sábado a suspensão das negociações de paz com o Governo de Islamabad, em resposta à violência continuadas das forças de segurança contra o esse movimento.

AFP |

Baitulá Mehsud, acusado pelas autoridades paquistanesas de planejar o assassinato da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto, em dezembro, interrompeu as negociações, ao mesmo tempo em que tropas paramilitares foram enviadas para um bairro do noroeste do país para lutar contra militantes islâmicos, de acordo com as autoridades.

"Suspendemos as conversações de paz com o governo porque ele utiliza constantemente a força contra nós", disse à AFP Mehsud, de seu feudo no Waziristão do Sul, distrito vizinho do Afeganistão.

"O governo não demonstra nenhum tipo de seriedade", disse Mehsud, que advertiu Islamabad que, caso seja "toma qualquer ação militar", os talibãs estarão dispostos ao "martírio".

Além disso, várias testemunhas relataram que tropas patrulhavam as ruas do bairro de Jyber, na província de Peshawar, que tem estado sob controle virtual de militantes do líder local islamita Mangal Bagh.

A mobilização de tropas segue uma série de ataques contra a polícia e grupos tribais locais por rebeldes, que pretendem estabelecer uma autoridade talibã na região.

"Não houve qualquer resistência de nenhuma organização", disse em um comunicado às autoridades locais.

A pressão internacional para que o governo enfrente os militantes talibãs, que realizam ataques contra o Afeganistão e têm aumentado a sua influência nas áreas vizinhas, aumentou esta semana.

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, indicou que o fracasso do Paquistão em derrotar os talibãs na fronteira é uma "preocupação" para o seu país.

str-rj/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG