Líder talibã pede que Ocidente ignore EUA e rejeite guerra afegã

Cabul, 19 set (EFE).- O líder supremo dos talibãs, o mulá Omar, chamou hoje o Ocidente a não se deixar enganar pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em sua defesa da guerra no Afeganistão, que considerou ilegal e imposta.

EFE |

Em comunicado publicado no site da insurgência, o mulá Omar tachou de "esforços demagógicos" as tentativas dos líderes estrangeiros de "justificar uma ilegal e longa guerra imposta".

"O Emirado Islâmico do Afeganistão - nome do antigo Governo talibã - pede ao povo do Ocidente que não se deixe enganar pelas afirmações de Obama, que diz que a guerra no Afeganistão é uma guerra de necessidade", afirmou o mulá Omar.

"Essa guerra começou por motivos clandestinos e sem razões com fundamento", acrescentou, em mensagem de felicitação aos muçulmanos pelo "Eid ul-Fitr", que marca o fim do mês sagrado do Ramadã.

A mensagem do líder dos talibãs, em paradeiro desconhecido desde a intervenção americana no Afeganistão, em outubro de 2001, coincide com os meses mais sangrentos para as tropas estrangeiras e com a incerteza sobre a apuração das eleições nacionais, cujos resultados preliminares dão a vitória ao presidente Hamid Karzai.

Atualmente no Afeganistão há cerca de 100 mil tropas estrangeiras, cerca 40 mil sob comando direto de Washington e o resto enquadradas na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), embora mais de um terço sejam americanas. EFE lo/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG