Líder supremo pede que políticos e personagens públicas não critiquem o Irã

Teerã, 12 mar (EFE).- O líder supremo da Revolução Iraniana, aiatolá Ali Khamenei, advertiu hoje aos políticos de seu país que se abstenham de criticar a situação e de propagar o pessimismo e a desesperança.

EFE |

Em reunião com os membros da Assembleia de Analistas - órgão encarregado de escolher o líder, fiscalizar seu mandato e inclusive capacitado para relevá-lo -, Khamenei insistiu em que o Irã caminha no rumo certo, apesar das três décadas de dificuldades desde o triunfo da revolução.

"Nos últimos 30 anos, não houve um só dia sem obstáculos, mas há sinais que indicam que estamos no caminho adequado", disse Khamenei, citado pela imprensa local.

"Os responsáveis e as figuras públicas não devem permitir que a impaciência e uma conduta mal calculada levem a desesperança à sociedade", especificou.

Khamenei afirmou que alguns pontos de vista negativos "foram introduzidos na sociedade para desesperar os iranianos e evitar seu progresso".

Uma tática que, segundo o aiatolá, fracassou, "levando em conta as conquistas" da nação iraniana.

"Milhares de centrífugas foram desenvolvidas por jovens cientistas iranianos demonstrando que o trem do progresso se movimenta rápido, apesar da desconfiança de alguns de seus passageiros", disse, em referência ao suspeito programa nuclear iraniano, denunciado pela comunidade internacional.

Nos últimos meses, e coincidindo com a proximidade da campanha eleitoral para as eleições presidenciais de 12 de junho, políticos, clérigos e economistas criticaram a crise econômica no país e culparam o presidente conservador, Mahmoud Ahmadinejad. EFE jm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG