Líder supremo iraniano pede união a facções libanesas contra Israel

Teerã, 25 nov (EFE) - O líder supremo iraniano, Aiatolá Ali Khamenei, pediu hoje unidade entre os diferentes grupos libaneses para forjar um só bloco frente a Israel. A máxima autoridade do regime iraniano fez esta declaração ao receber o presidente do Líbano, Michel Suleiman, que chegou na segunda-feira a Teerã para uma visita de dois dias. A República Islâmica do Irã acredita que o potencial de todos os grupos libaneses deve estar a serviço da união nacional e do poder deste país frente ao perigo do regime sionista, disse Khamenei em declarações reproduzidas pela agência Fars. O líder supremo da Revolução Iraniana elogiou as ações de Suleiman e seu apoio à resistência islâmica, assim como seu esforço para estabelecer a unidade interna e manter a identidade nacional do Exército libanês. Suleiman, ex-chefe do Exército, assumiu a Presidência do Líbano em 26 de maio, como chefe de Estado de consenso. A nomeação do militar encerrou uma grave crise política que se prolongou por um ano e meio e que colocou o país à beira de uma nova guerra civil.

EFE |

"A República Islâmica do Irã estará sempre ao lado do Líbano e espera que as conversas (de Suleiman em Teerã) dêem lugar ao fortalecimento das relações bilaterais", acrescentou Khamenei.

O presidente do Líbano agradeceu "o apoio do Governo e do povo do Irã" ao Líbano, principalmente durante o conflito de 33 dias contra Israel em 2006, assim como durante a reconstrução do país depois desse confronto armado.

"O papel do Irã foi muito importante na solução dos problemas internos do Líbano, assim como na formação do acordo de Doha", disse Suleiman no encontro, no qual esteve presente também o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.

Em maio, foi assinado em Doha, a capital do Catar, o acordo entre as distintas forças políticas libanesas que permitiu superar a crise e que deu origem à escolha de Suleiman como chefe de Estado.

O presidente libanês chegou a Teerã para falar com as autoridades iranianas sobre temas regionais e internacionais e com a intenção de dialogar sobre as possibilidades de ampliar os vínculos entre as duas nações.

Na segunda-feira, o chefe de Estado libanês se reuniu com Ahmadinejad e com o ministro de Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, entre outros.

Hoje, voltou a se reunir com Ahmadinejad e, no final dessa reunião, os dois governantes assinaram vários acordos bilaterais.

Depois desse ato, o presidente do Líbano retornou a Beirute. EFE msh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG