TEERÃ (Reuters) - A principal autoridade do Irã acusou os Estados Unidos na terça-feira de promover o terrorismo e usar armas e dinheiro para conspirar contra a república islâmica, em seu mais recente ataque verbal ao aqui-inimigo de Teerã. Os comentários do líder supremo Aiatolá Ali Khamenei em um discurso televisionado devem ser vistos como decepcionantes pelo governo do presidente Barack Obama, que está tentando se reaproximar do Irã após três décadas de desconfiança mútua.

"Eu digo isso firmemente que infelizmente, através de nossas fronteiras a oeste, os americanos estão ocupados fazendo uma conspiração, eles estão ocupados fomentando o terrorismo", disse Khamenei, referindo-se à presença dos EUA no Iraque.

"Dinheiro, armas, organização... estão sendo usados pelos americanos diretamente através de nossas fronteiras ocidentais para combater o sistema da república islâmica. Nós devemos estar alertas", afirmou ele durante uma visita à província do Curdistão, no oeste do país.

Khamenei falou um dia depois de Obama ter estabelecido um prazo para sua iniciativa diplomática junto ao Irã pela primeira vez, dizendo querer ver sérios progressos até o final do ano.

Obama ainda manteve a perspectiva de endurecer as sanções contra Teerã "para assegurar que o Irã entenda que nós estamos falando sério".

Washington e seus aliados no Ocidente suspeitam que o programa nuclear do Irã seja destinado a construir bombas, acusação negada por Teerã. Mas em uma interrupção da política de seu antecessor George W. Bush, Obama ofereceu conversas diretas com os iranianos para solucionar a disputa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.