Líder social-democrata renuncia depois de fracasso eleitoral na R.Tcheca

Paroubek considera impossível chegar ao poder, apesar de sua formação ter obtido o maior número de assentos nas eleições

EFE |

O ex-primeiro-ministro tcheco Jiri Paroubek renunciou nesta sábado ao cargo de chefe do Partido Social Democrata (CSSD), por considerar impossível chegar ao poder, apesar de sua formação ter obtido o maior número de assentos no Parlamento nas eleições gerais na República Tcheca.

Paroubek compareceu perante a imprensa na sede do partido esquerdista e anunciou sua decisão em um breve discurso. "É uma iniciativa pessoal. A partir de agora deixo o comando do partido nas mãos de seus vice-presidentes", declarou.

O CSSD conquistou 57 cadeiras do Parlamento, com 22,08% dos votos. Em segundo lugar ficou o Partido Democrático Cidadão (ODS), com 51 assentos e 20,21%.

O líder reconheceu que esperava um resultado melhor que o obtido, pois com a porcentagem de votos alcançada não tem chance de conseguir uma aliança com outras formações para governar, algo que pode ser feito pelos partidos conservadores.

Se chegar a um acordo de aliança, o ODS, o TOP 09 e o Veci Verejne, um partido novo, ocuparão juntos 117 das 200 cadeiras do Parlamento, segundo a apuração de 99,99% dos votos.

Paroubek anunciou que no futuro planeja concentrar-se "no trabalho do partido na região de Usti e como deputado". O CSSD será representado nas conversas pós-eleitorais dos líderes com o chefe do Estado pelo vice-presidente do partido e ex-ministro das Finanças, Bohuslav Sobotka.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG