Líder social-democrata é encarregado de formar Governo na Áustria

Viena, 8 out (EFE) - O líder do Partido Social-Democrata da Áustria (SPÖ), Werner Faymann, vencedor das eleições legislativas antecipadas de 28 de setembro, recebeu hoje a incumbência oficial de formar um novo Governo.

EFE |

O presidente austríaco, Heinz Fischer, encarregou a Faymann, que já integra o Executivo interino como ministro de Infra-estrutura, a formação do novo gabinete, de acordo com o costume tradicional de conceder esta função ao dirigente do partido mais votado.

Após uma reunião de cerca de uma hora a portas fechadas com Faymann, Fischer admitiu que seu desejo é "a criação de um Governo no qual se possa confiar, forte e com capacidade de tomar de decisões".

A declaração à imprensa do chefe do Estado revela sua preferência por uma renovação da chamada "grande coalizão", a aliança entre social-democratas e populares, cujo fracasso e ruptura, após 18 meses no poder, deu origem à convocação das eleições antecipadas.

Fischer reconheceu que esses dois grandes partidos foram punidos pelos eleitores com consideráveis perdas, mas lembrou que seguem sendo as duas legendas mais votadas.

Faymann também se mostrou partidário a negociar uma aliança com o Partido Popular Austríaco (ÖVP), liderado agora pelo atual ministro da Agricultura e Meio Ambiente, Josef Pröll, após a retirada de Wilhelm Molterer, o líder da legenda nos últimos dois anos.

O líder do SPÖ anunciou que, amanhã mesmo, pedirá uma reunião com Pröll para iniciar o mais rápido possível as negociações e coincidiu com Fischer ao dizer que é "desejável" que o novo Governo possa estar formado e assumir "antes do Natal".

Mas, dentro do ÖVP, crescem as vozes contrárias a uma repetição da aliança com os social-democratas, e favoráveis a que o partido passe à oposição.

Por outra parte, as duas forças opositoras de extrema direita, os liberais de Heinz-Christian Strache e os seguidores do ultranacionalista Jörg Haider, querem fazer parte do poder, após o forte avanço registrado no pleito. EFE wr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG