Líder religioso do Irã pede união ao povo

Teerã, 10 jul (EFE).- O aiatolá Mohammad Emami Kashani, imame do sermão oficial desta sexta-feira em Teerã, pediu ao povo iraniano que se mantenha unido.

EFE |

Segundo a televisão pública do Irã, Kashani pronunciou estas palavras durante o segundo jutba (discurso) do sermão "religioso-político" de Teerã, realizado na universidade da capital do país.

"Não devemos permitir que os inimigos tenham desculpas para exagerar os problemas", advertiu o clérigo iraniano durante o sermão, considerado a expressão do regime iraniano.

Ele disse que, "paralelamente" às eleições presidenciais (de 12 de junho) surgiram eventos "muito amargos", que foram uma pena para o país e "celebrados" pelos inimigos.

"O inimigo demonstrou que aproveita as oportunidades e convocou suas forças, entre elas os mujahedin (combatentes islâmicos)", afirmou Kashani, pedindo ao povo que "conheça bem" o rival.

Kashani afirmou que "todos os quatro candidatos das últimas eleições são e continuam sendo gente respeitada" e pediu ao poder legislativo do Irã que aprenda com a experiência, corrigindo a lei eleitoral caso haja alguma falha.

Nos últimos dias, muitos traçaram paralelismos entre o episódio que também ficou conhecido como "Praça da Paz Celestial iraniana" e a onda de protestos que abalou o país desde o anúncio da vitória do atual presidente, Mahmoud Ahmadinejad, acontecimento este que a oposição considera fraudulento.

Logo após a divulgação do controvertido resultado, centenas de milhares de pessoas foram às ruas, em passeatas que foram reprimidas brutalmente.

Segundo números oficiais, nas últimas três semanas de protestos morreram pelo menos 20 pessoas, centenas ficaram feridas e houve milhares de detenções. EFE.

msh/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG