Líder rebelde congolês afirma que deseja negociar com Kinshasa

O líder rebelde congolês Laurent Nkunda afirmou em seu reduto de Kichanga (leste da República Democrática do Congo) desejar negociações diretas com o governo de Kinshasa e ameaçou, caso isto não aconteça, expulsar o mesmo do poder.

AFP |

"Queremos uma negociação direta com o governo. Espero a resposta. Podem optar por se negar a negociar conosco. Porém, vamos obrigá-los a iniciar estas negociações, caso contrário, os expulsaremos do poder", declarou o ex-general tutsi congolês Nkunda à imprensa.

Vestido com uniforme militar, boina verde e óculos, Nkunda concedeu uma entrevista coletiva no fim de domingo em Kichanga, em uma remota zona do Kivu Norte, sem cobertura telefônica, situada 80 km ao noroeste de Goma, a capital provincial.

"Se não fizerem nada, vamos obrigar este governo a deixar o poder. Já entramos em Goma. Minhas tropas infiltradas estavam (quarta-feira) no aeroporto de Goma. Ordenei que parassem porque vi o sofrimento de meus irmãos de Goma", acrescentou.

Na quarta-feira à noite, ao fim de uma ofensiva relâmpago que o levou até a entrada de Goma, o Congresso Nacional de Defesa do Povo, grupo de Laurent Nkunda, proclamou um "cessar-fogo unilateral" que tem sido, de modo geral, respeitado desde então.

str-fal/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG