Líder político curdo critica luta armada do PKK

Ancara, 15 mai (EFE).- Pela primeira vez, um importante líder político curdo criticou a luta armada contra o Estado turco do ilegal Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), dizendo que solapa os interesses do povo curdo.

EFE |

"Digo isto aberta e claramente: A luta armada do PKK está prejudicando o povo curdo e fortalece os soldados (turcos)", declarou hoje Ahmet Türk, líder do grupo parlamentar curdo na Assembléia Nacional da Turquia.

É a primeira vez que um alto dirigente do curdo Partido da Sociedade Democrática (DTP), que conta com 20 cadeiras, critica as atividades do PKK, que luta contra o Estado turco desde 1984.

Desde então, mais de 35 mil pessoas morreram nesta guerra não declarada entre o PKK e as forças de segurança turcas.

As declarações de Ahmet Türk pronunciadas durante uma visita de membros do DTP ao norte do Iraque, foram recolhidas pelo site "PUKmedia", que pertence à União Patriótica do Curdistão (PUK), liderada pelo presidente iraquiano Jalal Talabani.

A delegação do DTP se reuniu com Talabani apesar de o líder do Governo autônomo curdo no norte do Iraque, Massoud Barzani, ter se negado a recebê-los.

Tanto Barzani como Talabani enviaram mensagens ao DTP e ao PKK deixando claro que "o tempo da luta armada terminou".

Türk afirmou que seu partido e o PKK esperam que o Estado turco apresente um projeto para a solução política do conflito.

Em todo caso, reconheceu que caso Ancara "insista em solucionar o problema pela via militar", o DTP não pode fazer muito.

"Caso (o Governo) apresente uma solução e um projeto político e o PKK não detenha a guerra, então nós também nos oporemos ao PKK", declarou Türk.

O DTP é criticado na Turquia por não cortar seus vínculos com o PKK, grupo considerado terrorista pelo Governo turco, e porque habitualmente não condena os atentados desta organização. EFE dt/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG