Líder parlamentar do Irã pede revisão de laços com Alemanha, França e R.Unido

Teerã, 21 jun (EFE).- O presidente do Parlamento iraniano, Ali Larijani, pediu hoje aos legisladores do país que reconsiderem as relações com Reino Unido, Alemanha e França, nações acusadas de instigar os distúrbios que sacodem o Irã desde foram divulgados dos resultados do pleito presidencial do último dia 12.

EFE |

Segundo a rádio oficial, Larijani classificou como "vergonhosa" a postura adotada pelas três potências europeias e pelos Estados Unidos. Em resposta, sugeriu à Comissão de Assuntos Exteriores do Parlamento que "repense os laços com os três países europeus".

O pedido do parlamentar foi feito horas depois de o ministro de Assuntos Exteriores, Manouchehr Mottaki, ter acusado Alemanha, França e Reino Unido de tentar interferir nos assuntos internos do Irã.

Num discurso aos diplomatas estrangeiros exibido na TV estatal, o chefe da diplomacia iraniana deu a entender que as três potências europeias estão por trás dos distúrbios e dos protestos que sacodem o Irã desde a semana passada.

"Os políticos de certos países fizeram declarações intrusivas e irresponsáveis (...). Eles deveriam pensar duas vezes antes de questionar o processo democrático das últimas eleições", afirmou.

Mottaki foi especialmente duro com a Chancelaria britânica, que, segundo disse, perturba a paz no Oriente médio para "proteger o Estado sionista (Israel)".

Além disso, pediu à França que se desculpe pelas declarações do presidente Nicolas Sarkozy, que disse ter certeza de que são verdadeiras as denúncias de fraude nas eleições.

Sobre os diplomatas alemães, o ministro iraniano disse que estão "intimidados" por Israel. EFE jm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG