Líder opositor pede resistência civil contra decreto de Morales

La Paz, 29 ago (EFE).- O ex-presidente da Bolívia Jorge Quiroga, líder da aliança opositora Poder Democrático e Social (Podemos), que controla o Senado, convocou hoje os bolivianos à resistência civil contra o que qualificou de decreto ditatorial de Evo Morales.

EFE |

Segundo Quiroga, o decreto, com que o governante convocou dois referendos para validar o projeto de nova Constituição, é um "golpe à democracia, um chamado à guerra civil e está produzindo a divisão da Bolívia".

Em coletiva de imprensa, Quiroga ressaltou que Morales "está agora na função de ditador, não de presidente constitucional" e procura um maior confronto entre os bolivianos com a norma emitida ontem.

"Convocamos os bolivianos na sociedade civil a se mobilizarem em resistência a este ato ditatorial", apontou Quiroga, ao ressaltar que os chamados ao diálogo do Governo eram "mentiras".

O decreto assinado por Morales convoca para 7 de dezembro dois referendos para validar o projeto de nova Constituição, um sobre o conjunto do texto de 447 artigos e outro pontualmente sobre que quantidade de terras que devem ser consideradas latifúndio a ser expropriado.

O assunto não ficou resolvido na Assembléia Constituinte em 2007.

Além dessas duas consultas, o decreto estabelece que também em 7 de dezembro se realizarão as eleições para os departamentos (estados) de La Paz e Cochabamba, cujos governadores foram revogados na consulta de 10 de agosto. EFE ja/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG