Líder opositor iraniano pede calma, apesar de prisões, diz site

Por Fredrik Dahl TEERÃ (Reuters) - O líder oposicionista iraniano, Mirhossein Mousavi, pediu nesta quarta-feira a seus seguidores que não se deixem provocar pela detenção de um dos seus principais aliados e de um outro reformista, segundo nota divulgada em seu site.

Reuters |

Mousavi disse que as prisões dos reformistas Alireza Hosseini Beheshti e Morteza Alviri são "um sinal de que fatos mais horrendos estão por vir."

"Mantenham a calma e continuem conscientes", disse Mousavi em nota. "Sejam cuidadosos para não deixarem que (as autoridades) os provoquem."

As prisões na terça-feira, noticiadas por sites ligados a reformistas, sinalizam um aumento da pressão das autoridades contra os rivais reformistas do presidente Mahmoud Ahmadinejad.

Ahmadinejad disse nesta quarta-feira que sua reeleição, em junho, foi uma derrota do Ocidente, que ele acusou de tentar interferir nas eleições. A oposição afirma que ele se beneficiou de uma fraude.

"A eleição presidencial foi um tapa histórico na cara da precária democracia liberal", disse Ahmadinejad, segundo a agência estatal de notícias Irna.

Antes, a esposa de Beheshti dissera ao site que ele foi preso na terça-feira em sua casa. Beheshti dirige uma comissão criada pela oposição para averiguar supostos abusos contra manifestantes detidos nos protestos pós-eleitorais.

A esposa, que não foi identificada, disse que cinco agentes participaram da invasão do domicílio, quando vasculharam "tudo, até o quarto" durante várias horas, apreendendo pertences pessoais e documentos antes de deterem Beheshti.

De acordo com a mulher, a família foi tratada "de forma grosseira."

As autoridades não comentaram tais relatos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG