Líder opositor diz que processará Chávez

Caracas, 27 out (EFE).- O líder opositor Manuel Rosales anunciou hoje que processará o presidente venezuelano, Hugo Chávez, pelas acusações de complô, narcotráfico, terrorismo e corrupção, embora tenha ressaltado que não confia no resultado.

EFE |

Embora seja "uma saudação à bandeira", porque Chávez acabou com a independência dos poderes, é preciso "cumprir com as formalidades" para encarar "tantas mentiras", manifestou Rosales à emissora "Union Rádio".

O governador de Zulia e candidato nas eleições regionais e municipais de 23 de novembro à Prefeitura de Maracaibo, capital desse estado fronteiriço com a Colômbia, o detalhe da acusação judicial contra Chávez está sendo preparado pelos advogados de seu partido.

"Vamos utilizar as ferramentas que a Constituição e as leis nos dão, contra o presidente", reafirmou por sua vez Enrique Márquez, vice-presidente de Assuntos Organizativos do partido Um Novo Tempo (UNT), de Rosales.

No último sábado, Chávez disse que tinha decidido não ir à Cúpula Ibero-Americana que será realizada nesta semana em El Salvador, alegando que tinha informações sobre um complô financiado pela CIA (inteligência americana) e por Rosales.

O governante já tinha advertido na sexta-feira que prepararia planos militares caso Rosales conquistasse nas eleições a Prefeitura de Maracaibo.

"Ele (Chávez) é tão homem como eu sou e não tenho medo dele nem de tanques, nem de canhões. Ele pode fazer e dizer o que quiser, mas sabe que eu defendo os interesses" da região, declarou Rosales à imprensa no sábado. EFE ar/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG