Líder mauritano diz que fórum nacional deve definir futuro do país

Nuakchott 27 dez (EFE).- O presidente do Comitê de supervisão dos Estados Gerais para a Democracia na Mauritânia, Abdallahi Ould Cheikh, disse hoje que este fórum nacional constitui uma boa ocasião para superar as divergências e se orientar em direção ao futuro.

EFE |

Em discurso na sessão de abertura, Cheikh afirmou que se trata de "uma ocasião para construir o país sobre bases que garantam a união nacional e o desenvolvimento equilibrado e durável".

Os participantes deste fórum "devem expressar livremente suas opiniões com franqueza, especialmente nas questões relacionadas com o interesse geral", acrescentou.

Particularmente, Cheikh pediu que os Estados Gerais centrem sua atenção na revisão da Constituição, para torná-la mais de acordo com as exigências de um país moderno.

Ele considerou que "todos os mauritanos estão representados nestes Estados Gerais, seja através das autoridades eleitas, ou através de seus representantes regionais".

Cheikh lembrou os compromissos do presidente da Junta Militar, o general Mohammed Ould Abdelaziz, que anunciou que respeitará as resoluções do fórum, sejam quais forem.

O presidente do comitê de supervisão prometeu ainda que todas as propostas serão respeitadas e apresentadas no relatório final que será preparado pela comissão de sínteses.

Depois da sessão de abertura oficial, os participantes se dividiram em sete grupos de trabalho relacionados com as autoridades públicas, as instituições políticas, a organização das eleições, sua supervisão e programação, o papel da sociedade civil e os cargos eleitos.

Os Estados Gerais, cujos trabalhos começaram hoje, permitirão definir o período de transição e o calendário de uma eleição presidencial antecipada. EFE mo/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG