Líder líbio diz que EUA são outro país com Obama

Trípoli, 22 jan (EFE).- O líder líbio Muammar Kadafi afirmou que, com a mudança de presidente, os Estados Unidos são outro país e expressou sua confiança de que não sejam mais uma nação imperialista e inimiga dos povos, enquanto pediu que Obama receba uma oportunidade mundial histórica.

EFE |

Em mensagem de vídeo para estudantes da universidade americana de Georgetown, Kadafi pediu que se "ignorem os rancores do mundo e do ódio que sentem os povos" pelos EUA para lhes permitir ser "um amante da paz e da liberdade".

Além disso, afirmou que atualmente há "sinais positivos" na política externa americana, entre os quais citou a intenção de fechar a prisão de Guantánamo, a possível retirada do Iraque e a revisão da presença dos EUA no Afeganistão.

Segundo ele, outro sinal positivo seria investigar de forma mais ampla as irregularidades cometidas na prisão iraquiana de Abu Ghraib durante a invasão do Iraque, ou a execução de Saddam Hussein e de outros antigos líderes do país "em qualidade de prisioneiros de guerra".

Kadafi também reivindicou poder revisar a denominação e o conceito de "terrorismo" e afirmou que foi realizada uma "manipulação desmedida e generalizada" deste termo pela Administração americana anterior. EFE fa/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG