Líder iraniano aceita novo prazo para denúncias sobre eleição

TEERÃ (Reuters) - O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, aceitou a solicitação feita pelo principal órgão legislativo do país para estender o prazo em cinco dias para receber e examinar as queixas eleitorais, disse a televisão estatal na terça-feira. O Conselho dos Guardiães, que investiga as queixas submetidas pelos candidatos derrotados sobre a contestada eleição de 12 de junho, havia feito a solicitação anteriormente em uma carta a Khamenei. O prazo inicial terminava em 24 de junho.

Reuters |

"O líder supremo aceitou a solicitação feita pela secretaria do Conselho dos Guardiães para estender (o prazo) em cinco dias para examinar as queixas dos candidatos," afirmou a TV estatal.

O Conselho dos Guardiães, que precisa aprovar os resultados da eleição, disse estar preparado para recontar uma amostra aleatória de 10 por cento dos votos, mas descartou a possibilidade de cancelar a eleição, como exigido por dois candidatos moderados.

Os resultados oficiais apontaram a vitória esmagadora do presidente Mahmoud Ahmadinejad. Mas o ex-primeiro-ministro Mirhossein Mousavi, seu principal rival, diz que a eleição foi fraudada e quer a anulação do pleito.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG