Líder golpista diz que Fiji não realizará eleições até 2014

Sydney (Austrália), 1 mai (EFE).- O líder golpista fijiano, Frank Bainimarama, confirmou que Fiji não realizará eleições até pelo 2014, em outro desafio à comunidade regional, que estabeleceu o dia de hoje como prazo para convocar o pleito e evitar a expulsão do país do Fórum das Ilhas do Pacífico.

EFE |

"Não vamos realizar eleições até pelo menos setembro de 2014, acho que deixamos isso bem claro", disse hoje Bainimarama em entrevista concedida à emissora de TV australiana "Sky News".

O primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, defendeu esta semana a expulsão de Fiji do Fórum de Ilhas do Pacífico por não convocar eleições após quase dois anos de regime militar.

Além disso, Rudd respaldou a decisão do grupo de fixar o dia 1º de maio como prazo para Bainimarama anunciar a realização do pleito.

Fiji atravessa uma profunda crise política há um mês, quando os tribunais declararam ilegal o golpe de Estado no qual o atual primeiro-ministro depôs em 2006 o Governo de Laisena Qarase.

O presidente fijiano, Josefa Iloilo, ignorou nas últimas semanas as ameaças de Austrália e Nova Zelândia de impor sanções a Fiji, e optou por militarizar as instituições e desvalorizar a moeda em 20% para controlar as reservas de divisas, entre outras iniciativas.

Bainimarama se comprometeu em 2007 a realizar eleições em 2009 para que a União Europeia (UE) mantivesse a ajuda oficial ao país, mas depois desistiu de convocar o pleito.

O líder golpista afirma que antes de realizar eleições é preciso reformar ou redigir uma nova Constituição e mudar a lei eleitoral para refletir a pluralidade étnica do país. EFE aus/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG