Líder empresarial libanês aparece morto em uma mala

Beirute, 13 ago (EFE).- O presidente da Câmara de Comércio e Indústria da cidade libanesa de Trípoli, Abdallah Gandur, foi encontrado morto na quarta-feira dentro de uma mala, após permanecer vários dias em paradeiro desconhecido, confirmaram hoje fontes policiais.

EFE |

Gandur desapareceu na noite da sexta-feira e seu corpo foi encontrado pela Polícia na fortaleza da localidade de Mesayla, na região de Batrun, depois que um de seus supostos assassinos se entregou à Polícia e confessou o lugar para onde tinha sido levado o cadáver.

O suspeito, Mohamad al-Dehni, um jornalista iraquiano naturalizado libanês, é correspondente e diretor do escritório no Líbano de uma rede de televisão do Iraque. Segundo as investigações, que indicam motivo econômico, a vítima devia uma quantia de dinheiro não especificada ao primeiro.

Segundo os primeiros indícios das investigações, Dehni, de 48 anos e que tinha negócios com Gandur, convidou a vítima para jantar na noite da sexta-feira em um restaurante em Jounieh, cerca de 20 quilômetros ao norte de Beirute.

Após o encontro, ao qual Dehni foi com outras duas pessoas, Gandur entrou no carro de seus carrascos, que no caminho aplicaram nele descargas elétricas e o drogaram.

No entanto, a vítima, que tinha 70 anos e uma saúde delicada, teria sofrido uma crise cardíaca que o levou à morte.

Segundo a "Rádio Líbano" as autoridades solicitaram hoje à Interpol a detenção de um dos cúmplices de Dehni, identificado como Adnan Mohamad Adnan, que teria deixado o país após o crime. EFE ks/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG