Cairo, 4 ago (EFE).- O líder do grupo conservador islâmico egípcio Irmãos Muçulmanos, Mahdi Akef, instou hoje os grupos palestinos Hamas e Fatah a trabalharem para tranqüilizar a situação e interromperem as detenções de seus respectivos seguidores.

Akef afirmou isto em comunicado divulgado no site da organização, no qual também pediu ao Hamas que só prenda as pessoas suspeitas de estarem envolvidas nos últimos atentados perpetrados na Faixa de Gaza.

Neste sentido, o líder dos Irmãos Muçulmanos destaca a necessidade de o Hamas "garantir juízos e investigações justas aos detidos".

Além disso, Akef instou os países árabes, especialmente o Egito, a intervir para ajudar a superar as causas que levaram as duas facções a se enfrentarem.

Os Irmãos Muçulmanos do Egito, que é a principal força política opositora do país, mantêm uma estreita relação com Hamas.

A campanha de detenções realizada pelas autoridades do Fatah (que governa na Cisjordânia) e Hamas começou após os atentados do dia 25 de julho em Gaza, que causaram a morte de sete pessoas, cinco delas milicianos do Hamas. EFE aj/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.