Líder do Taleban paquistanês pode estar vivo

Será um golpe para os EUA se for confirmada a informação de que Hakimullah Mehsud sobreviveu a ataque da CIA, em janeiro

Reuters |

AP
Líder do Taleban paquistanês, Hakimullah Mehsud, em foto de outubro de 2009
Funcionários paquistaneses de inteligência disseram na quinta-feira que o líder do Taleban paquistanês, Hakimullah Mehsud, continua vivo, contrariando relatos anteriores de que teria sido morto em janeiro numa operação da CIA perto da fronteira com o Afeganistão. 

"Sim, ele está vivo", disse uma importante fonte da inteligência paquistanesa à Reuters. Uma outra fonte corroborou a tese de que Mehsud sobrevivera ao bombardeio de um avião teleguiado, mas disse que não há como provar isso.

"Inicialmente, nossa inteligência no campo sugeria que ele tinha sido morto por causa de ferimentos sofridos no ataque, mas fizemos verificações e nossa inteligência agora concluiu que ele foi ferido, não morto. Todas essas informações têm como base análises de inteligência."

Se confirmada, a notícia será um golpe para a CIA, que havia intensificado os bombardeios teleguiados depois que Mehsud apareceu num vídeo com um agente duplo jordaniano que posteriormente matou sete empregados da CIA em um atentado suicida no leste do Afeganistão, em 30 de dezembro.

Independentemente do destino de Mehsud, no entanto, analistas não preveem mudanças nas ações da milícia islâmica Taleban, que luta para derrubar o governo paquistanês, apoiado pelos EUA. O ministro paquistanês do Interior, Rehman Malik, disse em fevereiro que possuía "informações críveis" sobre a morte de Mehsud.

"Essa confusão favorece o Taleban, pois constrange o governo", disse Rahimullah Yusufzai, especialista em assuntos tribais e do Taleban. "Mostra que há uma falta de inteligência real e ainda há áreas que não estão sob controle do governo."

Fontes do Taleban também já apresentaram versões conflitantes sobre o que realmente ocorreu com Mehsud. Em fevereiro, um deles disse que o líder havia morrido ao ser transportado para Karachi depois do bombardeio. Mas o principal porta-voz do Taleban, Azam Tariq, desmentiu a informação posteriormente.

Yusufzai disse que Mehsud pode preferir a discrição para não ser atacado outra vez. O Taleban sofreu importantes baixas no último ano, em meio às ofensivas militares paquistanesas contra seus redutos, incluindo na região do Waziristão do Sul, onde foi lançado o ataque da CIA. As incursões do Paquistão deixaram centenas de militantes mortos e destruíram bases da milícia.

    Leia tudo sobre: PaquistãoTalebanEUA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG