Líder do PMDB já fala em candidatura própria em 2010

O líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (RN), disse que o desempenho do PMDB nas eleições municipais reabre a possibilidade de o partido lançar um candidato próprio nas eleições presidenciais de 2010. Temos potencial para isso, disse Henrique Alves à BBC Brasil.

BBC Brasil |

O partido conquistou seis capitais nas eleições municipais, incluindo alguns dos maiores colégios eleitorais do país como Rio de Janeiro, Salvador e Porto Alegre.

O PDMB também foi o partido que elegeu mais prefeitos: 1.193 no primeiro turno e mais oito no segundo.

Desafio
Mas a última vez que o PMDB teve um candidato próprio a presidente foi em 1994, quando Orestes Quércia terminou em quarto lugar, atrás de Enéas Carneiro do Prona.

"O desafio é consolidar a unidade do partido, que acabou prejudicado em eleições anteriores pelo excesso de divisões internas", diz.

Segundo Alves, nos próximos dois anos o partido vai trabalhar para projetar nacionalmente alguns nomes que vêm se destacando regionalmente, como Sérgio Cabral Filho, no Rio de Janeiro, e José Fogaça, em Porto Alegre.

"Vamos viajar pelo Brasil para divulgar esses nomes", diz.

No PT, o resultado eleitoral e o desempenho do PMDB são lidos de outra forma.

"O desempenho da coligação PT-PMDB nas eleições municipais mostra que estamos no caminho certo", diz o deputado federal Candido Vacareza.

Apesar das derrotas nas três capitais onde disputou o segundo turno, Vacareza diz não concordar com a visão de que o PT tenha saído prejudicado dessas eleições.

Para ele, o PT perdeu nas capitais "que já não eram do PT", como por exemplo São Paulo, Salvador e Porto Alegre.

"Consolidamos a força da base aliada do goveno Lula", diz.

PSDB
Já no PSDB, o discurso é de que o desempenho do PT deve abrir espaço para a oposição na corrida presidencial.

"Essa eleição mostrou que não existe onda vermelha", diz José Aníbal, líder do PSDB na Câmara.

Na opinião de Aníbal, o governador José Serra (PSDB) sai fortalecido com a vitória de Gilberto Kassab (DEM), seu aliado na capital paulista. Já em Belo Horizonte, a vitória de Márcio Lacerda beneficia politicamente o governador Aécio Neves (PSDB).

Com isso, o PSDB reforça seus dois principais nomes para a sucessão do presidente Lula.

Segundo José Aníbal, a vitória de Kassab em São Paulo consolida a coligação entre PSDB e DEM. "Estaremos no mesmo campo em 2010", diz.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG