Líder do partido de Uribe reconhece que referendo para reeleição não é viável

Bogotá, 27 jul (EFE).- O líder do partido do presidente colombiano, Álvaro Uribe, reconheceu hoje que o referendo que permitiria o governante a exercer um terceiro mandato não é politicamente viável e confirmou que já há um consenso para nomear o ex-ministro Juan Manuel Santos como candidato.

EFE |

O diretor do Partido Social de União Nacional, também conhecido como Partido do U, Luis Carlos Restrepo, afirmou, em entrevista à emissora "La FM", que, para esse grupo político, é muito difícil reconhecer que o referendo "já perdeu todas as oportunidades".

"O referendo hoje não é politicamente viável. Dizer que vai haver um trâmite do referendo no Congresso é pensar com o desejo, eu não vejo a viabilidade", disse.

Restrepo, ex-comissário de paz de Uribe até o início deste ano, acrescentou que há movimentos político no Congresso que impedem o avanço do processo.

"Não é viável", especificou.

Além disso, indicou que se a conclusão de que o referendo não é viável for alcançada, "o Partido do U deve apoiar a candidatura de Juan Manuel Santos", afirmou.

"Há um grande consenso dentro do partido para proclamar o doutor Juan Manuel Santos como candidato", acrescentou Restrepo, ao assinalar que se o referendo para um terceiro período de Uribe não sair, as condições para uma candidatura da coalizão em nome de Santos devem ser determinadas rapidamente.

A convocação para um referendo está em trâmite de conciliação nas duas câmaras do Congresso, mas devido às derrotas da coalizão pró-Uribe nos últimos dias, analistas e políticos consideram que o texto não será conciliado e que ele não poderá ser candidato pela terceira vez.

Uribe foi eleito em 2002, para um mandato de quatro anos e, durante esse período, realizou uma reforma constitucional que permitiu sua reeleição em 2006. EFE fer/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG