Líder do Parlamento Andino diz que Correa e Uribe devem resolver crise

Quito, 22 mai (EFE) - A presidente do Parlamento Andino, a equatoriana Ivonne Baki, disse hoje que a crise diplomática originada entre Quito e Bogotá após a incursão de tropas colombianas em território do Equador em 1º de março deve ser resolvida pelos chefes de Estado dos dois países.

EFE |

Para Baki, o problema não pode ser resolvido pelos diplomatas pois, para ela, o assunto se transformou em algo pessoal entre os dois líderes.

"Têm que ser eles os que voltem a se reunir e conversar, falar e dizer o que quiserem em segredo, em particular ou o que for", disse.

O Parlamento Andino continua tentando conseguir uma aproximação entre os presidentes do Equador, Rafael Correa, e da Colômbia, Álvaro Uribe, disse em entrevista à rádio "Sonorama", publicada pelo jornal eletrônico "Ecuadorinmediato".

Baki, ex-embaixadora do Equador nos Estados Unidos, acrescentou que "a política do microfone" impede a solução para este problema, que acaba afetando os povos dos dois países.

Ela afirmou que "essa forma da política do microfone" dos dois governantes impediu que retomem o diálogo; no entanto, expressou que é possível que um tempo mais à frente "as relações melhorem". EFE sm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG