Viena, 29 set (EFE).- O presidente do Partido Popular Austríaco (ÖVP), Wilhelm Molterer, renunciou hoje a seu cargo após os maus resultados de sua legenda nas eleições gerais, quando teve queda de 9% em apoio nessa que foi sua pior participação em um pleito na história.

A agência austríaca "APA" disse que Molterer, até agora vice-chanceler federal e ministro das Finanças, será substituído pelo ministro do Meio Ambiente, Josef Pröll, assim como a imprensa local tinha antecipado.

"Propus à direção do partido (..) que Sepp (Josef) Pröll assumisse de forma imediata como presidente do partido a responsabilidade da gestão do ÖVP", confirmou Molterer após a reunião da direção da legenda.

O ÖVP obteve 25,61% de apoio popular, atrás dos social-democratas, que também caíram, mas se mantiveram em primeiro lugar. Os dois partidos sofreram uma queda de popularidade significativa que acabou beneficiando a extrema direita.

Na imprensa e nos círculos políticos, se especulava já antes das eleições que Pröll poderia suceder Molterer caso os populares ficassem em segundo, como ocorreu.

O líder dos social-democratas, Werner Faymann, que deverá receber a ordem do presidente para formar um novo Governo, deixou claro que sua opção, entre as poucas que tem após o forte avanço da extrema direita, é renovar a coalizão com o ÖVP, porém sem Molterer.

No entanto, o ÖVP não decidiu ainda se quer voltar a se integrar ao Governo ou se posicionar junto à oposição, mas deixou Pröll livre para tomar a decisão que quiser.

"Não há uma decisão sobre uma coalizão ou a oposição", confirmou Pröll.

O novo presidente do partido disse que não tomará a iniciativa de entabular conversas com as demais legendas, já que cabe a Faymann tentar alcançar um acordo para governar. EFE rs/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.