Gaza, 27 dez (EFE).- O chefe do Governo do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh, acusou hoje Israel de ter cometido seu mais horrível e feio massacre contra o povo palestino, ao matar 208 pessoas durante um dia de bombardeios em massa na Faixa.

Haniyeh fez as declarações nesta noite na rede de televisão "Alaqsa", controlada pelo movimento islâmico, após passar o dia todo escondido, assim como outros líderes do Hamas, que temem ser atacados pelo Exército israelense.

"O povo palestino nunca tinha assistido a um massacre tão horrível e feio como este", disse Haniyeh.

Esta foi a operação militar israelense mais violenta contra os palestinos em um só dia desde a Guerra dos Seis Dias, de 1967, segundo Muawiya Hassanein, chefe dos serviços médicos de Gaza.

Por sua parte, o líder máximo do Hamas, Khaled Mashaal, pediu que seus seguidores lançem uma Terceira Intifada contra Israel, em entrevista à rede de televisão catariana "Al Jazira".

Mashaal, que vive exilado em Damasco, defendeu responder "duramente" aos ataques das últimas horas contra Gaza para que Israel beba "do mesmo copo" que os palestinos estão bebendo agora.

A Primeira Intifada ocorreu entre 1987 e 1993 e a Segunda foi lançada em setembro de 2000.

O porta-voz do Hamas em Gaza, Fawzi Barhum, ressaltou em comunicado que o movimento "não se renderá" e "manterá a resistência contra o inimigo sionista".

Os ataques de hoje ocorreram pouco depois do meio-dia (hora local) e foram lançados por cerca de 50 aviões e helicópteros da Força Aérea israelense durante dois minutos. Até agora, o número de feridos chega a 750.

Os bombardeios destruíram 30 prédios, em sua maioria sedes das forças de segurança do Hamas - que controla Gaza desde junho de 2007 -, muitas delas situadas em áreas residenciais.

No ataque, morreram o responsável da Polícia do Hamas em Gaza, Tawfiq Jaber, o chefe da Segurança do Hamas, Ismail al-Jaabari, e o governador da circunscrição de Al-Wusta, na Gaza Central, Ahmad Abu Aashur.

No final da tarde, um novo ataque aéreo israelense ao leste da capital da Faixa matou dois milicianos palestinos que se preparavam para lançar foguetes contra Israel, o que elevou a 208 o número de mortos em Gaza durante o dia.

Os grupos armados de Gaza responderam com 30 projéteis contra as localidades vizinhas de Israel, um dos quais matou uma mulher em Netivot. EFE sar/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.