Gaza, 15 fev (EFE).- Um destacado dirigente do movimento islamita Hamas disse hoje que não tem informação suficiente sobre o destino do soldado israelense Gilad Shalit, capturado por esse grupo em 2006, e que poderia ter sido morto com as crianças de Gaza.

Moussa Abu Marzuk, segundo do escritório político do Hamas em Damasco, fez esta declaração a um jornal editado em Londres.

O braço armado do Hamas, as "Brigadas de Ezedin al-Qassam", e outras duas facções palestinas capturaram o soldado em junho de 2006 após atacar uma base militar em território israelense situada nas imediações da Faixa de Gaza.

Israel adverte que só se comprometerá a reabrir as passagens fronteiriças da região somente depois que o soldado israelense for libertado. EFE sar-db/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.