Líder do Cartel do Golfo morre em tiroteio com Marinha mexicana

Ezequiel Cárdenas Guillén, conhecido como "Tony Tormenta", foi morto a tiros na sexta-feira na cidade de Matamoros

EFE |

AFP
Foto da Agência Antidrogas dos EUA mostra o líder do cartel do Golfo, Ezequiel Cárdenas Guillén. Ele foi morto a tiros em confronto com a Marinha mexicana em 05/11/2010
O líder máximo do cartel de drogas do Golfo, Ezequiel Cárdenas Guillén, conhecido como "Tony Tormenta", foi morto a tiros na sexta-feira na cidade de Matamoros por membros da Marinha mexicana, informou uma fonte oficial à Agência Efe.

"Tony Tormenta" dirigia o Cartel do Golfo desde 2003, depois que seu irmão Osiel Cárdenas foi detido no México em 2003 e extraditado para os Estados Unidos em 2007.

O Departamento de Estado dos EUA oferecia US$ 5 milhões pela captura de Ezequiel Guillén e o governo mexicano, US$ 2,5 milhões.

A fonte informou que infantes da Marinha trocaram tiros com o bando de "Tony Tormenta", em tiroteio que também deixou mortos três de seus cúmplices e dois militares.

Em Matamoros, no Estado de Tamaulipas, foram registrados vários tiroteios entre forças federais e criminosos desde a manhã de sexta-feira.

Os confrontos levaram ao bloqueio das principais avenidas da cidade, fronteiriça com a americana Brownsville (Texas), o que obrigou as autoridades dos EUA a fechar as pontes internacionais que ligam os dois países nessa região.

O governo mexicano considerou que a morte do líder do Cartel do Golfo representa um passo "significativo" na desarticulação dos grupos criminosos "que tanto dano causam à população" do país, disse o porta-voz de Segurança Nacional, Alejandro Poiré.

O Cartel do Golfo e o Los Zetas , antes aliados, travam desde 2010 uma sangrenta guerra pelo controle do tráfico de drogas. Desde o início do ano, mais de 10 mil pessoas já morreram por ações do crime organizado .

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG