Líder democrata pede fim de disputa de Hillary e Obama

A presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, a democrata Nancy Pelosi, disse nesta terça-feira que é preciso uma conclusão rápida para a disputa no partido, antes da realização da convenção nacional, em agosto, na cidade de Denver. Acredito que é importante que cheguemos a um consenso em torno de um candidato bem antes de irmos para a Convenção Nacional Democrata, se esperamos vencer em novembro, afirmou Pelosi, em referência à data da eleição presidencial.

BBC Brasil |

Os comentários de Pelosi foram feitos em uma entrevista à rede de televisão americana ABC. A presidente da Câmara é a terceira na linha sucessória americana e uma das mais importantes lideranças do partido.

A senadora e pré-candidata Hillary Clinton está atrás de seu rival Barack Obama tanto no voto popular como na contagem de delegados.

A campanha de Hillary também tem enfrentado dificuldades financeiras e crescentes pressões para que ela abandone a disputa.

Desfecho
O presidente do Comitê Nacional Democrata, Howard Dean, pediu que se chegue a um desfecho da disputa até julho, um mês após as últimas primárias democratas e um mês antes da convenção do partido.

Hillary tem dito que pretende continuar no páreo até que sejam realizadas todas as próximas dez primárias e até mesmo até a convenção.

Ela também vem afirmando que é preciso chegar a uma solução para que os delegados da Flórida e do Michigan sejam representados na convenção democrata.

As primárias democratas realizadas nos dois Estados não tiveram validade, porque as representações locais do partido anteciparam as datas de suas prévias eleitorais, contrariando regras do partido.

Ainda assim, um total de 1,8 milhão de democratas foram às urnas na Flórida e no Michigan, e Hillary foi a "vencedora", ainda que nenhum candidato tenha feito campanha nos Estados e que, no Michigan, apenas o nome de Hillary estivesse na cédula eleitoral.

Benefício a McCain
Na semana passada, o senador Patrick Leachy, do Estado de Vermont, se tornou o primeiro líder democrata a defender abertamente que Hillary se retire da corrida em favor de Barack Obama.

Segundo Leahy, a longa disputa entre os dois democratas estaria prejudicando o favorito Obama e favorecendo o candidato do Partido Republicano, John McCain.

O ex-presidente Bill Clinton refutou a tese e disse que "um debate vigoroso" é bom para o partido e que aqueles que querem ver a ex-primeira dama desistir deveriam "ficar frios".

A próxima primária será realizada no dia 22, no Estado da Pensilvânia.

As pesquisas indicam vantagem para Hillary, que conta com o apoio de boa parte do eleitorado majoritário no Estado, que é branco e da classe trabalhadora.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG