Líder de unidade das Farc é capturado no Equador

Segundo general colombiano, prisão de número 2 de frente 48 da guerrilha é resultado de operação conjunta entre Quito e Bogotá

iG São Paulo |

Um dos chefes das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) foi detido na segunda-feira em território equatoriano, em uma nova mostra do fortalecimento na cooperação entre os dois vizinhos na luta contra os grupos rebeldes e o tráfico de drogas.

A Agência Estatal de Notícias Andes, do Equador, informou que homens da polícia equatoriana capturaram Fabio Ramírez, conhecido como Danilo, que confessou ser o segundo comandante da Frente 48 das Farc, que opera na região de fronteira entre o Equador e a Colômbia.

Ramírez, que era procurado pela polícia colombiana por supostos atos criminosos, foi detido juntamente com sua mulher quando ambos circulavam sem documentos de identificação pelo sul de Quito. Segundo o comandante geral das Forças Militares da Colômbia, almirante Edgar Cely, os dois foram presos em um shopping da capital equatoriana. "Quero cumprimentar e agradecer o Exército e a polícia equatorianos."

"As autoridades equatorianas solicitaram a seus pares da Colômbia a constatação das impressões digitais para identificar o casal. Os detidos declararam nas dependências policiais que pertencem à Frente Sul das Farc", segundo a agência Andes.

O almirante Cely disse que Ramírez "era o homem de confiança de Milton de Jesús Doncell, também conhecido por 'Joaquín Gómez', comandante do Bloco Sul e membro do secretariado das Farc".

Os dois detidos, de nacionalidade colombiana e que teriam passado uma semana no Equador - segundo versões da imprensa local que não foram confirmadas - foram colocado à disposição de um juiz que deve iniciar o processo de deportação para o país de origem.

Quito e Bogotá, que restabeleceram suas relações diplomáticas em dezembro depois de uma suspensão de quase três anos, têm redobrado seus esforços para cooperar na luta contra grupos criminosos que atuam na fronteira dos países.

Segundo o general Juan Carlos Salazar, chefe do comando Sul do Exército colombiano, a prisão de Ramírez foi resultado de uma operação conjunta da inteligência militar de Colômbia e Equador. "Era seguido há meses, conseguiu desaparecer mas voltamos a localizá-lo no Equador", disse.

*Com Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: colômbiaequadorfarc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG