Líder de protestos na Tailândia desafia estado de emergência

Bangcoc, 2 set (EFE).- O líder dos manifestantes que ocupam a sede do Governo da Tailândia há uma semana afirmou hoje (hora local) que, em desafio ao estado de emergência decretado pelo primeiro-ministro Samak Sundaravej, seus seguidores continuarão no local.

EFE |

"Não há prisões suficientes no país para colocarem todos nós nelas", disse o ex-general do Exército e antigo prefeito de Bangcoc, Chamlong Srimuang, aos milhares de partidários da Aliança do Povo para a Democracia (APD).

Sobre o palanque montado pelos ocupantes do palácio, Chamlong acrescentou que os partidos da oposição avisaram antes ao primeiro-ministro que, se ele decretasse estado de emergência, isso significaria seu fim como chefe do Governo.

"O máximo que (essa medida) consegue fazer é deter os principais líderes", declarou Chamlong, que em 1991 liderou os grandes protestos contra o Governo pró-militar da época, os quais só terminaram depois que soldados mataram aproximadamente 50 pessoas.

Sundaravej decretou estado de emergência para conter os confrontos entre seguidores do Governo e da oposição, nos quais uma pessoa já morreu e 34 ficaram feridas. EFE grc/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG