Líder de Hamas desmente Carter e diz que não se reconciliará com Israel

O movimento palestino Hamas está disposto a aceitar um Estado palestino com as fronteiras de 1967, mas não reconhecerá Israel, afirmou nesta segunda-feira, em Damasco, o chefe da organização, Khaled Mechaal, desmenteindo as afirmações do ex-presidente Jimmy Carter.

AFP |

Anteriormente, Carter afirmou que o Hamas estava disposto a reconhecer o direito de Israel de existir se um acordo de paz fosse concluído e aprovado por referendo palestino.

"Os líderes do Hamas indicaram que estariam dispostos a aceitar um Estado hebreu nas fronteiras de 1967 caso os palestinos aprovem e aceitem o direito de Israel de viver em paz, como vizinho", afirmou Carter em uma entrevista coletiva à imprensa.

Carter se reuniu com o líder no exílio do Hamas, Khaled Mechaal, no sábado em Damasco.

Israel e Estados Unidos, que consideram o movimento Hamas uma organização terrorista, criticaram duramente o encontro.

O ex-presidente norte-americano também declarou que o Hamas poderia reconhecer um acordo de paz negociado pelo primeiro-ministro israelense Ehud Olmert e pelo presidente palestino Mahmud Abbas, com a condição "de que seja submetido à aprovação dos palestinos, inclusive se o Hamas não concordar com alguns termos deste acordo".

pfm-chw/dm/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG