Uma corte da Alemanha aprovou nesta segunda-feira a libertação de Christian Khar, um dos líderes do grupo de extrema-esquerda Facção do Exército Vermelho, responsável por uma série de assassinatos e seqüestros no país nos anos 70. Klar, que hoje tem 56 anos e foi condenado por envolvimento em nove assassinatos e 11 tentativas de assassinato, cumpria cinco sentenças de prisão perpétua.

Mas a corte de Stuttgart determinou que ele pode ser solto em janeiro, quando tiver completado o mínimo requerido de 26 anos de prisão.

A corte alega que não há motivos para mantê-lo preso.

A Facção do Exército Vermelho, também conhecida como Gangue de Baader-Meinhof, atuava na antiga Alemanha Ocidental e tinha como alvos executivos, banqueiros, juízes e expatriados americanos.

Choque
Segundo o correspondente da BBC em Berlim, Steve Rosenberg, a brutalidade dos crimes realizados pelo grupo chocou a opinião pública alemã.

Muitas vezes, motoristas e guarda-costas dos principais alvos também eram mortos.

Em fevereiro de 2007, outro tribunal determinou a libertação de uma ex-integrante do grupo, Brigitte Mohnhaupt, depois de 24 anos na prisão.

De acordo com Rosenberg, a libertação de membros da Facção ainda é um assunto polêmico entre os alemães.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.