Líder da revolução iraniana culpa EUA por ataques no Iraque

Teerã, 25 abr (EFE).- O líder supremo da revolução iraniana, o aiatolá Ali Khamenei, atribuiu aos Estados Unidos a onda de violência que atinge o Iraque há alguns dias e que já matou mais de cem pessoas, entre elas 53 peregrinos iranianos.

EFE |

Numa mensagem pública de pêsames, a máxima autoridade do regime iraniano afirmou que o principal culpado dos recentes atentados e mortes no Iraque são "os militares e as forças de segurança dos EUA que ocuparam os países islâmicos com o pretexto de combater o terrorismo".

"As mãos e mentes malvadas que criaram este terrorismo cego e incontrolável no Iraque devem saber que este fogo se voltará contra elas", afirmou Khamenei.

Na quinta-feira, 53 fiéis iranianos morreram num restaurante próximo à cidade iraquiana de Baquba, cerca de 60 quilômetros ao norte de Bagdá, quando um suicida detonou um cinto de explosivos que carregava junto ao corpo.

Horas antes, 28 pessoas, entre elas 12 policiais, perderam a vida num atentado cometido por uma mulher num bairro do centro de Bagdá habitado por sunitas e xiitas.

Embora nenhum grupo tenha assumido a autoria desse ataque, tudo indica que ele foi obra de grupos radicais sunitas ideologicamente ligados à Al Qaeda.

A este respeito, Khamenei disse esperar "que, de forma séria, o Governo iraquiano faça frente a crimes deste tipo e garanta a completa segurança dos peregrinos".

As declarações do aiatolá são feitas em meio aos gestos do Governo americano para abrir um novo capítulo nas relações com o Irã. EFE msh/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG