Líder da Ossétia do Sul leva a Moscou pedido de reconhecimento da região

Moscou, 23 ago (EFE).- O líder da Ossétia do Sul, Eduard Kokoiti, viajou hoje para Moscou para entregar às autoridades da Rússia o pedido de reconhecimento da independência dessa região separatista da Geórgia, informaram as agências russas.

EFE |

"Viajo para a capital russa para entregar nosso pedido aos órgãos de poder da Federação da Rússia. Espero que a Rússia tome uma decisão correta em resposta à solicitação de reconhecer nossa independência", disse Kokoiti à agência "Interfax".

Em declarações feitas antes de voar para Moscou, Kokoiti ressaltou que este pedido se baseia na "vontade expressada pelo povo" da Ossétia do Sul, e lembra que o mesmo pede à Rússia a outra região separatista georgiana, a Abkházia.

Ambas as regiões separatistas aprovaram esta semana em assembléias populares e em seus respectivos Legislativos tais solicitações, dirigidas ao presidente russo, Dmitri Medvedev, e a ambas as câmaras do Parlamento da Rússia, a Duma e o Senado.

A ânsia de independência das regiões, que romperam laços com Tbilisi após conflitos armados no começo da década passada, se avivaram após o ataque do Exército georgiano à Ossétia do Sul no dia 8, que levou a Rússia a entrar com suas tropas na Geórgia para proteger os separatistas.

Kokoiti, eleito líder da administração da Ossétia da Sul em dezembro de 2001, convocou em 2006 um plebiscito, onde 99% da população local apoiou a independência em relação a Tbilisi.

Depois que Kosovo declarou em fevereiro passado sua independência, a Ossétia do Sul e a Abkházia pediram o reconhecimento de sua independência à ONU, União Européia, comunidade pós-soviética, OSCE e Rússia.

A Abkházia não descarta se integrar no futuro à Federação Russa, enquanto a Ossétia do Sul expressou seu desejo de se unir à república russa da Ossétia do Norte.

A Duma russa anunciou hoje que ao meio-dia da segunda-feira realizará uma sessão extraordinária para abordar o conflito bélico com a Geórgia e, segundo informações que vazaram para a imprensa, poderia pedir ao Kremlin o reconhecimento da independência de Abkházia e Ossétia do Sul, como já fez em março passado.

Então, a Duma considera "conveniente reconhecer a independência" de ambas as regiões no caso de serem atacadas pela Geórgia ou se esta ingressar na Otan, a fim de proteger assim os habitantes ossetas e abkhazes, já que a Rússia tinha lhes concedido sua cidadania, apesar dos protestos de Tbilisi. EFE se/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG