O líder da oposição iraniana Mir Hossein Mousavi disse nesta terça-feira que sua luta pelos direitos da nação continuará, apesar da pressão de integrantes da linha-dura para acabar com protestos contrários ao governo, disse o website do oposicionista.

"O movimento verde não vai abandonar sua luta pacífica... até que os direitos do povo sejam preservados", disse ele ao website Kalemeh.

Ele disse que prisões com motivações políticas e enforcamentos de manifestantes são contra a lei e defendeu uma mudança na Constituição para garantir os direitos das pessoas.

"Protestos pacíficos são um direito do povo iraniano", disse ele.

O Irã enforcou duas pessoas na semana passada pelo envolvimento delas em um protesto iniciado após a eleição presidencial do ano passado. Sentenças de morte para outras nove pessoas estão em fase de apelação.

As execuções foram condenadas por grupos de direitos humanos e pelo Ocidente que, segundo o Irã, apoiam os manifestantes.

Mousavi e outro candidato derrotado nas eleições presidenciais Mehdi Karoubi fizeram apelos para que simpatizantes participem de uma manifestação no dia 11 de fevereiro, quando o país comemora o 31º aniversário da revolução islâmica.

Integrantes da linha-dura alertaram que protestos contrários ao governo não serão tolerados após as sangrentas manifestações durante o ritual xiita da Ashura em 27 de dezembro, quando oito manifestantes foram mortos e, segundo autoridades, mais de mil pessoas foram presas.

Leia mais sobre Irã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.