Líder da oposição diz que situação do governo Gobierno boliviano é complexa

O empresário Samuel Doria Medina, líder da Unidade Nacional (UN, centro-direita), afirmou que o governo de Evo Morales terá uma situação complicada apesar da vitória do sim no referendo realizado neste domingo para aprovar uma nova Constituição para o país.

AFP |

Medina, no entanto, não reconheceu a vitória do 'sim', dizendo que pretende esperar pela divulgação dos resultados oficiais, já que os resultados parciais ainda são provenientes de pesquisas de boca-de-urna.

"Para a oposição, há uma presença forte em todas as cidades, nosso grande desafio é chegar ao campo, para poder ter o apoio nas áreas rurais", destacou Medina, em uma declaração enviada à rede de televisão Unitel.

Para o líder opositor, "há cinco departamentos onde o 'não' venceu", o que torna a situação do governo "complicada" e transforma a Carta Magna de Evo Morales em "uma Constuição de minoria".

Morales, que votou em Chapare, sua região natal, chegou ao palácio presidencial de Quemado, onde se reunirá com seu gabinete para definir o discurso que fará à nação mais tarde no balcão da residência oficial.

Os resultados parciais extra-oficiales apontam para uma "votação dividida" entre cinco regiões, que se opõem à proposta do presidente boliviano, e outras quatro, que a apóiam.

Segundo pesquisas de boca-de-urna, o projeto da nova Constituição foi rejeitado nos departamentos de Santa Cruz (72,8%), o mais rico da Bolívia, Tarija (57,6%), Chuquisaca (57,6%), (Beni 63%) e Pando (65,3%), enquanto em La Paz (62,2%), Oruro (62,8%), Potosí (77,1%) e Cochabamba (53%) prevaleceu o 'sim'.

str/rb/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG