Líder da oposição birmanesa vota sob prisão domiciliar

Yangun (Mianmar), 23 mai (EFE).- A chefe da oposição democrática birmanesa, a Nobel da Paz Aung San Suu Kyi, votou hoje em sua casa para o plebiscito constitucional realizado amanhã na sua cidade, Yangun, e em outras 47 localidades do país que não puderam votar no último dia 10 de maio por conta dos estragos causados pelo ciclone Nargis.

EFE |

Suu Kyi cumpre prisão domiciliar desde 2003. Fontes oficiais indicaram seu partido, a Liga Nacional pela Democracia (LND), é contra o projeto constitucional proposto pelo Governo por acreditar que isso acarretaria em um regime ditatorial.

Os colégios eleitorais em Yangun e outros 47 povoados, além da vizinha Irrawaddy, abrirão amanhã às 6h (20h30 de Brasília) e fecharão às 16h (0h30 de sábado).

O plebiscito de 10 de maio teve uma arrasadora maioria, de 92,4%, a favor do texto constitucional que começou a ser redigido em Convenção Nacional no ano de 1993 e que foi concluído no ano passado sem a colaboração da oposição democrática.

A próxima ação da Junta Militar será realizar eleições parlamentares "livres" em 2010, na qual Suu Kyi não poderá concorrer à chefia do Estado por haver sido casada com um estrangeiro - o professor britânico Michael Aris, que morreu de câncer em 1999.

Mianmar não sofria com este problema em eleições desde 1990, quando a LND ganhou com mais de 82% dos votos válidos, embora o regime militar não tenha reconhecido o resultado. EFE csm/fh/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG