Líder da máfia pode ser condenado à prisão perpétua nos EUA

Nova York, 27 abr (EFE).- Um dos chefes da organização mafiosa Cosa Nostra, Angelo Prisco, pode ser condenado à prisão perpétua por ter sido considerado hoje culpado de assassinato, chantagem e roubo, anunciou a Procuradoria do Distrito Sul de Nova York.

EFE |

Em comunicado, a procuradoria informou que, após duas semanas de julgamento, o júri condenou Prisco, de 69 anos, por esses crimes, mais conspiração, extorsão e gestão ilegal de um local de jogos de azar.

As autoridades acusam Prisco de ter organizado em 1992 o assassinato de seu primo e também membro da Cosa Nostra Angelo Sangiuolo, sob as ordens daquele que era o líder do bando, Vincent Gigante.

Segundo as autoridades, Sangiuolo, que supostamente tinha roubado um companheiro da organização, foi morto com três tiros em Nova York.

Prisco também foi condenado por conspiração de vários assaltos à mão armada perpetrados em joalherias nova-iorquinas entre 1991 e 1992.

O júri considerou que Prisco também cometeu um crime de conspiração ao organizar e autorizar diversos roubos em casas nas quais seu bando atava e agredia os moradores.

Além disso, o chefe da máfia foi condenado por extorquir várias empresas dos distritos de Manhattan, Brooklyn e Bronx.

Prisco entrou na máfia no final da década de 70, e desde que chegou à chefia supervisionava as operações criminosas nos estados de Nova York e Nova Jersey.

A sentença, que será divulgada no dia 23 de julho, pode chegar à prisão perpétua, e a um mínimo de 15 anos de cadeia. EFE bs/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG