Líder da Jihad Islâmica diz que Gaza resistirá mesmo que crise dure mil anos

Cairo, 15 jan (EFE).- O secretário-geral do grupo palestino Jihad Islâmica, Ramadan Shalah, afirmou hoje que a Faixa de Gaza não se renderá e que a resistência continuará, msmo que o conflito no território palestino dure mais mil anos.

EFE |

"Digo aos líderes do inimigo (israelense) que Gaza não cairá, não se renderá e não levantará o estandarte da derrota, inclusive se o conflito continuar durante mil anos", disse Shalah à rede de televisão "Al Jazira".

Além disso, o líder da facção palestina, exilado em Damasco, criticou os líderes árabes por não querer participar de uma cúpula em Doha para discutir o fim das hostilidades em Gaza.

"Seus nomes serão colocados na lista da desgraça, se não participarem da cúpula de Doha para deter o massacre contra nossa gente em Gaza", advertiu.

Shalah se referia à cúpula de chefes de Estado árabes, convocada pelo Catar, cuja realização pode não acontecer devido à recusa de vários países em participar, como Arábia Saudita, Egito e Marrocos, entre outros.

O responsável da Jihad Islâmica também reclamou do fato de que a crise de Gaza seja tratada dentro de uma reunião econômica no Kuwait, que começará na próxima segunda-feira.

"O sangue palestino não pode ser comparado com a Bolsa de Nova York (...). Nosso sangue deveria ser um assunto separado sob o título de honra, dignidade e orgulho. O sangue palestino não é uma mercadoria que possa ser tratada na cúpula do Kuwait", concluiu Shalah.

A Jihad Islâmica é uma das facções palestinas presentes em Gaza e possui afinidade ideológica com o Hamas. EFE nq/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG