Líder conservador se retrata por chamar juíza de Obama de racista

Washington, 3 jun (EFE).- O ex-presidente da Câmara de Representantes e líder conservador Newt Gingrich se retratou hoje do comentário em que acusou a juíza hispânica Sonia Sotomayor, nomeada para a Suprema Corte pelo presidente Barack Obama, de ser racista.

EFE |

Embora não tenha oferecido claramente uma desculpa pelas declarações, Gingrich reconheceu, perante as críticas de líderes republicanos, que o uso dessa palavra foi um erro.

"A palavra racista não deveria ser aplicada à juíza Sotomayor como pessoa, mesmo que suas palavras em si sejam inaceitáveis", disse na revista conservadora "Human Events".

Gingrich disse que até os líderes do Partido Republicano que pedem um debate "honesto e aberto" sobre Sotomayor o criticaram pelo uso desse adjetivo.

O presidente Barack Obama designou Sotomayor ao Supremo como a terceira mulher na história dessa corte e a primeira latina.

Alguns republicanos do Senado expressaram ceticismo sobre a independência jurídica de Sotomayor, mas também deixaram claro que pelo menos permitirão um processo de confirmação "justo".

Nesse contexto, as palavras de Gingrich caíram mal entre alguns republicanos, especialmente no momento em que o partido perdeu apoio entre as minorias. EFE mp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG