Líder budista pede autorização do Kremlin a visita do dalai lama

Moscou, 20 mar (EFE).- O líder budista da região russa da Calmúquia, Telo Tulku Rinpoche, pediu ao Kremlin que permita uma visita pastoral do dalai lama, líder da comunidade tibetana no exílio, apesar da forte oposição chinesa.

EFE |

"Uma nova reunião com o dalai lama seria o melhor presente que os dirigentes russos poderiam dar ao povo da Calmúquia pelo aniversário de 400 anos da entrada voluntária da região no seio da Rússia", assinala a carta enviada aos dirigentes russos pelo líder budista, informou hoje a agência "Interfax".

Telo Tulku também enviou uma carta ao Ministério de Assuntos Exteriores russo para solicitar um visto para que o dalai lama viaje à Calmúquia.

A última visita do líder tibetano a essa república russa banhada pelo Mar Cáspio, em novembro de 2004, gerou fortes críticas por parte da China.

Na ocasião, o dalai lama se reuniu com Telo Tulku e consagrou um templo budista, mas não chegou a se encontrar com dirigentes políticos.

O Kremlin alega que não pode manter contatos oficiais com o dalai lama devido a um acordo de amizade e cooperação assinado com a China, país que considera o líder tibetano um dirigente político independentista. EFE io/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG