Moscou, 28 ago (EFE).- O líder bielo-russo, Aleksandr Lukashenko, justificou hoje a decisão da Rússia de reconhecer a independência da Abkházia e da Ossétia do Sul, e propôs apoiar este passo dentro da aliança militar pós-soviética liderada por Moscou.

Lukashenko enviou ao Kremlin uma mensagem na qual declara que "a Rússia não tinha outra opção moral que apoiar o pedido dos povos da Ossétia do Sul e da Abkházia de reconhecer seu direito à autodeterminação, de acordo com as normas básicas internacionais".

"O presidente afirma que a República da Belarus continua sendo um aliado confiável e conseqüente da Rússia", disse um porta-voz da Presidência bielo-russa, em Minsk, à agência russa "Interfax".

Lukashenko, considerado pelos EUA "o último ditador da Europa" e cujo país depende economicamente em alto grau da Rússia, propôs também apoiar a decisão de Moscou na Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC), aliança político-militar que reúne sete Estados ex-soviéticos. EFE si/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.