Karzai se reuniu com parentes de civis que morreram na província de Kandahar, sul do Afeganistão

O presidente afegão, Hamid Karzai, acusou nesta sexta-feira os Estados Unidos de não cooperarem com a investigação sobre o massacre de 16 civis , feito supostamente por um militar americano .

Karzai (E) se reuniu nesta sexta0feira com parentes de vítimas do massacre em Kandahar
AP
Karzai (E) se reuniu nesta sexta0feira com parentes de vítimas do massacre em Kandahar
O soldado acusado de atirar contra os civis foi levado pelas forças americanas para o Kuwait . De lá, o militar, cuja identidade não foi divulgada, foi levado para a base de Fort Leavenworth, no Kansas. Em Fort Leavenworth fica a única prisão de segurança máxima do Exército americano. Membros do Parlamento afegão exigem que o soldado suspeito vá a júri popular no Afeganistão.

Defesa: Acusado de massacre afegão não tinha problema com bebida, diz advogado

Ao alertar que ele está “ficando sem paciência” ao se referir ao massacre de civis na província de Kandahar no fim de semana, o presidente afegão acusou os EUA de não compartilhar informações sobre como o soldado americano disparou contra os 16 civis em dois vilarejos.

O incidente complicou ainda mais as relações entre EUA e Afeganistão, que já vinham sendo abaladas pelos protestos depois da queima de cópias do Alcorão em uma base militar no fim de fevereiro. Os incidentes suscitaram também a retirada das tropas americanas e da Otan (Aliança do Tratado do Atlântico Norte) até o fim de 2014.

Nesta sexta-feira ainda, em um encontro emotivo com parentes das vítimas do massacre em Kandahar, Karzai disse que os relatos dos moradores dos vilarejos é diferente do cenário descrito pelos militares americanos. Parentes e testemunhas presentes nos vilarejos insistiram que era impossível apenas um atirador matar nove crianças, quatro homens e três mulheres em apenas três horas em dois vilarejos diferentes, próximos a um posto americano no sul do Afeganistão.

O presidente afegão apontou para um dos moradores do distrito de Panjwai, em Candahar, e disse: “Em sua família, foram mortas pessoas em quatro cômodos, crianças e mulheres. E todos foram levados para uma sala e incinerados. Um homem sozinho não poderia fazer isso”, disse.

Perguntas

Segundo o presidente afegão, a delegação enviada pelo governo para Candahar para investigar o massacre não recebeu a cooperação esperada dos EUA. Ele lembrou também que muitas questões tentam esclarecer sobre o que ocorreu, e ele poderia ir além e questionar a conduda das forças militares dos EUA dentro do Afeganistão. As forças militares dos EUA não quiseram fazer comentários.
Karzai voltou a dizer que o massacre dos civis pelas mãos de forças da coalizão ocidental foi “longe demais”.

Em um esforço para evitar incidentes como esse, na quinta-feira Karzai disse que os EUA deveriam retirar suas tropas de vilarejos e cidade, permitindo que as forças afegãs tomassem o controle.

O presidente americano, Barack Obama , ligou para Karzai nesta sexta-feira buscando esclarecimentos sobre o pedido de retirar forças americanas de algumas áreas. Segundo a Casa Branca, os líderes concordam sobre o plano de transição da segurança para as mãos afegãs, e as “forças afegãs assumirão a total responsabilidade pela segurança no conjunto do país no final de 2014".

Obama receberá Karzai em maio, em Chicago, dentro da cúpula da Otan, que deve detalhar ainda mais o processo de transição no Afeganistão.

*Com AP, BBC e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.