Líbia não entregará único condenado por atentado de Lockerbie

Irmão de Abdelbaset al-Megrahi diz que ele está em coma e governo de transição afirma que não vai entregar qualquer cidadão líbio

iG São Paulo |

AFP
Megrahi em 2009 ao ser libertado da prisão com expectativa de vida de mais três meses
O governo de transição líbio disse que não entregará Abdelbaset al-Megrahi, a única pessoa condenada pelo atentado de 1988 contra um avião da Pan Am na altura de Lockerbie, na Escócia. A ação matou 270 pessoas.

Al-Megrahi chegou a ser preso na Escócia, mas foi libertado em 20 de agosto de 2009 depois de ter cumprido oito dos 27 anos a que foi condenado pelo atentado terrorista, já que supostamente tinha apenas três meses de vida. Durante os combates dos últimos meses, no entanto, ele foi visto entre as tropas pró-Kadafi. Agora seu irmão, Al-Megrahi, diz que ele está em coma em sua residência.

O canal de notícias CNN já havia informado no fim de semana que Megrahi, que está na fase terminal de um câncer, respirava com a ajuda de aparelhos.

Um ministro do Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia disse no domingo que o país não vai extraditá-lo. "Não entregaremos qualquer cidadão líbio ao Ocidente", disse Mohammed al-Alagi, o ministro da Justiça do CNT, a repórteres em Trípoli. "Al-Megrahi já foi julgado uma vez e ele não vai ser julgado novamente. Nós não entregamos cidadãos líbios, como Muammar Kadafi entrega", acrescentou.

O atentado em 1988 provocou a explosão de uma aernoave que ia de Londres para Nova York. Até hoje as investigações continuam.

Em março, quando o ex-ministro das Relações Exteriores da Líbia, Moussa Koussa, deixou o país, os escocês pediram para interrogá-lo.

*com Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: lockerbieAbdelbaset al-Megrahilíbiaescócia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG