México, 22 jul (EFE).- Quatro homens e uma mulher da Coréia do Sul seqüestrados há uma semana por traficantes de pessoas na cidade mexicana de Reynosa (norte), na fronteira com os Estados Unidos, foram libertados hoje.

José Herrera, promotor do estado de Tamaulipas, ao qual pertence Reynosa, disse à "Rádio Fórmula" que os sul-coreanos não eram empresários, mas "cidadãos comuns" que tinham sido levados de seu país até o México por uma quadrilha de traficantes de pessoas encarregada de fazer o grupo chegar aos EUA.

Sem dar muitos detalhes, Herrera disse que, após uma investigação, descobriu-se que os sul-coreanos foram feitos reféns pelos traficantes, que exigiram US$ 30 mil para soltá-los.

O promotor, que não disse se os seqüestradores foram presos, explicou que o grupo foi libertado depois que as ligações telefônicas dos traficantes foram rastreadas.

Depois de libertados na tarde de hoje, os sul-coreanos foram levados à Procuradoria Geral da República (PGR) para depor.

Os cinco sul-coreanos "estão em perfeito estado de saúde", afirmou Herrera, que disse que o grupo ainda está em Reynosa e já conversou com um representante diplomático de seu país no México.

EFE gt/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.