Jerusalém, 8 abr (EFE) - Os oito funcionários da emissora pacifista palestina RAM-FM detidos na segunda-feira pela Polícia israelense quando trabalhavam em seus escritórios de Jerusalém foram libertados hoje, segundo fontes policiais.

Os detidos compareceram ao meio-dia perante o Tribunal do distrito de Jerusalém, que decidiu deixá-los em liberdade, disseram à Agência Efe as fontes, que não puderam especificar se eles serão acusados de algum crime.

Na segunda-feira, os funcionários da rádio foram detidos com o argumento de que emitiam de forma ilegal.

São oito jornalistas, técnicos e pessoal administrativo do estúdio em Jerusalém da emissora "RAM-FM", que transmite informação, música e entretenimento com o objetivo de promover a paz e o diálogo entre os jovens israelenses e palestinos.

Mais cedo, a Associação de Imprensa Estrangeira (FPA) em Israel e na Autoridade Nacional Palestina (ANP) tinha criticado a detenção dos funcionários e exigido sua libertação.

"A FPA pede a imediata libertação dos oito membros da "RAM-FM" que estão sob custódia da Polícia israelense em Jerusalém, após uma operação em suas instalações na qual seus equipamentos foram apreendidos", indicou a associação em comunicado.

O porta-voz da Polícia israelense, Miki Rosenfeld, afirmou que as detenções foram realizadas "a pedido do Ministério de Comunicação por emissão ilegal".

O estúdio não contava com a autorização administrativa israelense necessária, e suas emissões, em freqüência modulada, interferiam nas comunicações aéreas, disseram segunda-feira fontes oficiais.

Segundo disse à Agência Efe Raf Gangat, um dos jornalistas da emissora, a equipe jurídica da rádio estuda todas as opções legais para tentar reabrir o estúdio em Jerusalém.

De caráter progressista e liberal, a rádio "RAM-FM" transmite sua programação em inglês e é uma das mais ouvidas em toda a zona central da Cisjordânia e de Jerusalém, tanto por jovens israelenses como palestinos.

A sede central da rádio se encontra na cidade de Ramala, na Cisjordânia.

Em sua apresentação em fevereiro de 2007, o diretor de informação, Andrew Bolton, afirmou que o objetivo da emissora era aliar "entretenimento, música e programas noticiários, verídicos e confiáveis, para promover a paz e o diálogo". EFE db/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.