Libertados 19 reféns europeus e egípcios, diz TV

Os 11 turistas europeus e os oito egípcios sequestrados há 10 dias em uma zona remota do sudoeste do Egito foram libertados sãos e salvos, anunciou a televisão pública egípcia.

Redação com agências internacionais |

Acordo Ortográfico Segundo uma fonte dos serviços de segurança que pediu anonimato, os reféns - cinco italianos, cinco alemães, uma romena e os oito acompanhantes egípcios - estavam em uma base dos sequestradores no Chade, perto da fronteira com o Sudão.

"As forças especiais egípcias os libertaram em uma operação no território chadiano, perto da fronteira com o Sudão", afirmou.

Uma funcionária do ministério egípcio do Turismo, Omayma al Husseini, disse que os reféns chegarão ao Cairo esta tarde. Uma fonte dos serviços de segurança afirmou que os reféns são esperados no aeroporto militar de Almaza, perto do aeroporto internacional do Cairo.

O ministro italiano das Relações Exteriores, Franco Frattini, confirmou a libertação em entrevista ao canal de televisão Sky TG 24.

"Nossos compatriotas estão livres e estão com as forças egípcias", declarou Frattini, que está em Belgrado.

Sequestradores mortos

No domingo, o governo sudanês havia afirmado que o Exército do país matou seis dos sequestradores depois de uma perseguição em uma região remota de deserto perto da fronteira com a Líbia.

Outros dois suspeitos foram presos, mas os turistas ainda estavam sendo mantidos em cativeiro, guardados por outros integrantes do grupo.

O líder do grupo teria sido morto e dois suspeitos de envolvimento teriam sido capturados após a batalha do domingo. As autoridades sudanesas afirmaram que o grupo sequestrado, inicialmente levado do Egito para o Sudão, estaria no Chade.

O Sudão disse ainda que o grupo teria ligações com grupos rebeldes da região sudanesa de Darfur, mas as lideranças dos principais grupos que atuam na região negaram a alegação.

Os turistas foram capturados nas imediações do planalto de Gilf al-Kebir, próximo da fronteira tríplice entre Egito, Líbia e Sudão.

A região de Gilf al-Kebir é famosa por suas pinturas rupestres (pré-históricas) e por suas formações rochosas.

Sequestros envolvendo turistas são bastante raros no Egito, embora tenham ocorrido ataques nos últimos anos.

Leia mais sobre sequestro de turistas

    Leia tudo sobre: sequestro de turistas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG