BAMAKO (Reuters) - A divisão da Al Qaeda na África do Norte libertou o refém suíço mantido no Sahara desde janeiro, um porta-voz do presidente do Mali disse no domingo. Nós podemos confirmar que o suíço (refém) foi libertado, disse Seydou Cissouma, porta-voz do presidente do Mali, sem dar detalhes.

Werner Greiner foi capturado no fim de janeiro com outros três estrangeiros durante um festival de música próximo à fronteira entre o Mali e o Níger.

Duas mulheres do grupo foram libertadas antes de o britânico Edwin Dyer ser morto em maio.

As negociações para a libertação de Greiner estavam em andamento desde a morte de Dyer, mas ocorriam durante uma série de confrontos entre as tropas de segurança do Mali e os militantes islâmicos que mataram dezenas de pessoas.

Os sequestros colocaram em evidência a ameaça do braço africano de ações terroristas globais, conhecido como Aqim, que emergiu do movimento islâmico argelino, o GSPC.

O Aqim opera em uma região de governos vulneráveis, dominada por traficantes, rebeldes e criminosos. Analistas afirmam que a ameaça do grupo se baseia em uma mistura de criminalidade e oportunismo tanto quanto em fundamentalismo islâmico.

(Reportagem de Tiemoko Diallo)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.